Veja quais são os materiais utilizados para procedimentos nasais

Seu portal de Saúde e Bem Estar

Veja quais são os materiais utilizados para procedimentos nasais

Devido a fragilidade dos ossos da região e sua localização central, as fraturas de nariz são as mais frequentes na área do rosto, desenvolvendo problemas nasais.

Causadas por quedas, traumas em esportes e agressões físicas, as fraturas podem tanto atingir os ossos, como o septo nasal.

Mas, além das fraturas, há também procedimentos tanto estéticos, quanto problemas de saúde, como o desvio de septo.

E para conter sangramentos e secreções, existem alguns utensílios que são utilizados para procedimentos nasais em hospitais e clínicas.

Mas você os conhece e sabe qual a função de cada um deles? Não? Então conheça agora alguns desses procedimentos.

Tampão nasal

O tampão nasal configura-se como um cilindro que é colocado no nariz após sangramentos nasais ou procedimentos cirúrgicos, como a rinoplastia.

Podendo ser encontrado em diversos tamanhos e até com cordões de seda, ele também conta com um aplicador que facilita muito sua introdução na área nasal. Geralmente, o material usado na fabricação do tampão nasal é hidroxilato de polivinil acetato, o PVA.

Sua principal utilização, é de fato conter a secreção de líquidos, seja ele sangramento ou outro tipo. Em média, ele pode absorver uma quantidade de líquidos até seis vezes o seu tamanho, expandindo-se dentro da cavidade nasal com suavidade. Fácil de retirar, ele possui propriedade de não adesão a mucosa nasal, sendo indiferente a sua pressão.

Como cerca de 60% da população adulta possui algum sangramento, o tampão nasal preço não é abusivo e por esse motivo, é muito procurado.

Tampão nasal com canula

Possuem o mesmo objetivo do tampal nasal comum, sem canula. São utilizados principalmente em cirurgias, tais como: septoplastia, rinoplastia, turbinectomia, entre outras.

O diferencial deste tampão é que eles apresentam uma especie de abertura, chamada de areador. O tampao nasal com canula possui esta abertura para controlar a inalação de o2 em pacientes que necessitam de baixa ou média concentração.

Este equipamento se mostra muito mais confortável do que o cateter, pois com ele, não há obstáculos nas horas de comer e falar.

Tala intrasanal

Este utensílio consiste em um tubo de silicone que ao fim da cirurgia é posicionado junto ao septo nasal. A tala intranasal tem como objetivo garantir uma boa cicatrização do septo, auxiliar na ventilação nasal e evitar sinéquias.

Por ser fabricada em silicone, possuem alta flexibilidade, estabilidade e conforto, permitindo que o paciente respire bem após a cirurgia, garantindo qualidade e tranquilidade no sono.

Além disso, é fácil de ser retirada e sua leveza evita depressões no dorso do nariz. E se você está pensando na aparência, a tala intranasal também possui versões na cor da pele, mantendo assim a descrição.

Benefícios:

  • Agilidade de aplicação;
  • Capacidade de aderência;
  • Boa compressão de cornetos e septo;
  • Leve e fácil de ser retirada;
  • Controle imediato do edema;
  • Reduz a possibilidade de infecção.

Splint nasal

Equipamento indicado principalmente para cirurgias de desvio de septo, o splint nasal configura-se como um tubo pequeno de silicone que é posicionado dentro do nariz após o procedimento cirúrgico.

Ele reduz as chances de hematomas septais, comprimindo uniformemente os retalhos muco-pericondrais septais. Também evita o aparecimento de sinéquias entre o septo e os cornetos, pois mantém o septo retificado durante a cicatrização, facilitando e muito sua retirada.

Há dois tipos de splint nasal, o interno e o externo. Ambos podem ser utilizados no pós operatório. O externo é utilizado para manter os ossos nasais na posição desejada durante a cicatrização, enquanto o interno tem o objetivo de auxiliar na respiração, evitar inflamações e prevenir hematoma septal.

Tala nasal externa

Particularmente utilizada em rinoplastia ou procedimentos de contorno nasal, a tala externa são fabricadas em silicone de grau médio, fluoroplástico ou alumínio e possuem uma variedade de espessuras.

Para a aplicação desse tipo de tala, primeiro é aplicado no nariz uma fita especial e, em seguida, a tala é adicionada.

Seu objetivo é imobilizar os tecidos esculpidos durante a cirurgia, até que o corpo tenha condições próprias  para produzir tecido de cicatrização suficiente para manter os ossos e as cartilagens em sua nova posição.

A tala nasal externa possui estrutura ergonômica na cor da pele, mantendo assim a discrição. Também se mostra ser muito mais vantajosa se comparada, por exemplo, a gesso e bandagens, pois é muito mais fácil de ser retirada, já que seu auto-adesivo funciona por meio de aquecimento.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *