Fique por dentro da gestão de equipamentos hospitalares

Seu portal de Saúde e Bem Estar

Fique por dentro da gestão de equipamentos hospitalares

Qualquer pessoa que já esteve em algum centro médico, já se deparou com aquela infinidade de equipamentos hospitalares que, muitas vezes, não sabemos, ao menos, a função.

Esses equipamentos hospitalares dispõe de diversas formas de tecnologia, todas elas trabalhando em prol da saúde e bem estar dos pacientes.

São utilizadas para o atendimento, tratamentos, diagnósticos, processos de reabilitação, entre diversas outras funções. Contudo, para que esses equipamentos estejam em pleno funcionamento, é necessário que o hospital realize a gestão de equipamentos.

Neste artigo, levantaremos alguns pontos para te ajudar a compreender um pouco mais, sobre como funciona todo esse processo de administração dos equipamentos, bem como alguns passos para preservar o espaço do hospital.

O que é a gestão de equipamentos hospitalares?

O principal objetivo da gestão de equipamentos, é fazer com que estes estejam em bom estado para uso, além de manter todo o seu funcionamento dentro dos padrões estabelecidos pela lei.

Todo hospital deve dispor de uma pessoa ou departamento responsável (engenharia clínica), para que se faça a elaboração de um plano para a gestão dos equipamentos.

Sendo este documento, o parâmetro para todos os processos realizados dentro do hospital. É importante que esse departamento realize treinamentos periódicos, com toda a equipe de colaboradores do hospital.

Para que estes sejam capazes de manusear as máquinas da maneira correta. Nesses treinamentos, os colaboradores serão instruídos, não apenas a manusear as máquinas, mas também a:

  • Preservar a integridade dos equipamentos;
  • Identificar quando há a necessidade de manutenção ou calibração;
  • Realizar pequenos reparos, quando necessário;
  • Compreender quando é preciso contratar um serviço especializado, para a manutenção ou ainda um calibrador.

Muitos hospitais optam por manter uma equipe de manutenção interna, com colaboradores especializados. No entanto, em hospitais menores, por exemplo, onde não há a possibilidade de manter a própria equipe de manutenção, pode-se contar com uma empresa terceirizada.

Assim como a manutenção, deve-se manter o controle sobre a calibração de equipamentos, como o durômetro digital, as balanças, os robôs utilizados em cirurgias, entre outros, para que estes possam funcionar corretamente.

Qual o papel dos enfermeiros na gestão de equipamentos?

Mesmo que o responsável pela gestão dos equipamentos seja o setor de engenharia clínica, a equipe de enfermagem possui um papel fundamental neste processo.

Os enfermeiros são os profissionais que mais dispõem de habilidades práticas no manuseio de equipamentos, como é o caso do fio guia mandril para intubação.

E por conviverem todos os dias com a maior parte dos equipamentos hospitalares, os enfermeiros podem contribuir com a elaboração do plano de gestão, instruindo a respeito, por exemplo, de quais as melhores marcas para determinados produtos.

Com seu olhar apurado, a equipe de enfermagem possui grande habilidade para identificar quais equipamentos estão apresentando defeitos, seja por falhas técnicas ou por falhas humanas – por falta de conhecimento técnico no manuseio.

Também são os enfermeiros os principais responsáveis por preservar a integridade dos aparelhos no uso cotidiano, mesmo que a equipe de gestão realize a manutenção periódica.

Como manter a segurança nos espaços hospitalares?

Dentro dos hospitais, é muito comum que haja determinadas áreas onde o acesso é restrito e é necessário manter a esterilidade.

Tais áreas estéreis, contam com diversos equipamentos necessários para a limpeza do local, dos equipamentos e do pessoal que possui acesso a elas.

Esses equipamentos passam pelo plano de gestão de equipamentos hospitalares, além de, também, estarem adequados à NR 32, norma reguladora dos processos de segurança para colaboradores, preservando sua integridade física.

Além dos equipamentos de segurança comuns, como as máscaras, botas e luvas, há também alguns mais específicos para a esterilização em si.

Por exemplo, as estufas para esterilização de equipamentos, os lavatórios nos quais os profissionais se preparam antes de entrar no centro cirúrgico ou do chuveiro e lava olhos.

Onde os profissionais fazem a descontaminação, após entrarem em contato com substâncias perigosas. O importante é que, independente de quais equipamentos componham a estrutura do hospital, todos devem constar no plano de gestão de equipamentos.

Assim como, estarem de acordo com os padrões estabelecidos pelas normas e leis que regem o segmento. Em suma, a equipe de gestão de equipamentos hospitalares ou engenharia clínica, deve sempre estar atenta ao funcionamento dos equipamentos.

Adquirir apenas produtos de qualidade comprovado, ter parceria com empresas terceirizadas de confiança e acima de tudo, estar alinhada com toda a equipe do hospital, para que assim, o hospital, como um todo, possa funcionar devidamente.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *