Quais são as principais diferenças entre aparelhos auditivos

Seu portal de Saúde e Bem Estar

Quais são as principais diferenças entre aparelhos auditivos

Felizmente, devido ao desenvolvimento tecnológico, o deficiente auditivo tem a oportunidade de ouvir novamente. Neste cenário, há inúmeros modelos de aparelhos auditivos, que apresentam tamanhos, funções e características diferentes.

No entanto, na hora de escolher o modelo ideal, é preciso manter a atenção voltada às necessidades auditivas do interessado. Neste caso, o profissional otorrinolaringologista deve fazer o diagnóstico exato, para saber qual aparelho é o mais indicado.

Em suma, o assunto é algo para ser pensado, pois também existem diversos acessórios para aparelho auditivo, que potencializam a usabilidade do equipamento.

Sendo assim, desenvolvemos este conteúdo especial com tudo o que você precisa saber sobre as principais curiosidades dos aparelhos auditivos. Continue com a leitura a partir dos próximos tópicos.

Tecnologia voltada ao uso

Os aparelhos auditivos contam com tecnologia avançada e que proporciona novamente ao usuário a chance de ouvir.

Os aparelhos auditivos mais modernos são muito pequenos, funcionam como minicomputadores, cujas funções estão sendo cada vez mais aperfeiçoadas no setor clínico.

Quem ganha com esse desenvolvimento é o usuário, que conta com uma melhor produção natural da audição humana.

O programa presente nos diferentes tipos de aparelhos auditivos possibilita o aumento de fatores avançados, que melhoraram a produção de som.

Algumas variáveis também são levadas em consideração, para que o resultado seja satisfatório, como o ambiente onde o usuário se encontra, por exemplo.

Categorias de aparelhos auditivos

Assim como foi mencionado há pouco, os aparelhos auditivos são fabricados com diferentes finalidades e potências. No entanto, eles são classificados em quatro categorias:

  • Micro canal (CIC)

  • Intra Canal (ITC)

  • Intra-auricular (ITE)

  • Retroauricular (BTE)

Cada categoria é destinada a um nível de surdez diferente, uma vez que a potência e formato do equipamento são diferentes.

Sendo assim, não adianta pesquisar sobre quanto custa aparelho auditivo, sem antes saber a real necessidade de quem precisa do equipamento.

Por isso, o recomendado é passar em um profissional qualificado, que possa descobrir o que é necessário para o indivíduo.

Principais componentes do aparelho

Assim como todo equipamento eletrônico, o aparelho auditivo conta com inúmeros componentes e partes importantes, que garantem o funcionamento da ferramenta.

No entanto, ficaria muito extenso citar todas as partes, por isso separamos as quatro principais. Veja:

  • Microfone;

  • Computador;

  • Amplificador;

  • Alto falante.

Ainda cabe dizer que todos os equipamentos contam com um protetor auricular, que garante mais conforto para o deficiente auditivo. O microfone, por sua vez, capta o ar ao mesmo tempo em que o transforma em sinais de eletricidade.

Em contrapartida, o computador manipula todos os sinais eletrônicos e os adapta à perda auditiva de cada indivíduo.

Neste caso, o amplificador aumenta a intensidade dos mesmos sinais captados pelo microfone, uma vez que o alto falante os converte em sinais auditivos acústico para quem usa o aparelho.

Por isso, é muito importante que o paciente faça o exame de audiometria, para descobrir a intensidade que ele precisa para conseguir ouvir novamente.

Analógico ou digital

Existem alguns fatores que diferenciam o aparelho digital do equipamento analógico.

Neste cenário, os equipamentos auditivos mais modernos costumam usar a tecnologia digital, como o aparelho auditivo argosy.

Este modelo transforma o som, converte em bits e personaliza antes de amplificar o sinal. Tudo acontece muito rápido e de maneira imperceptível.

O modelo também pode ser programado, ou seja, ele é ajustado individualmente para a necessidade de cada usuário, independente do nível da perda auditiva.

Em contrapartida, o aparelho auditivo analógico aumenta os sinais de som, que se transformam por meio do microfone e, por fim, são transmitidos para o sistema auricular do usuário.

Neste sentido, o equipamento pode ser alterado conforme as necessidades de cada paciente, mas dentro das limitações tecnológicas do aparelho.

Programas diversos

Os modelos digitais mais avançados estão analisam constantemente os sons do ambiente, a fim de modificar a criação de programas e seleciona automaticamente a situação auditiva específica.

Isso só é possível por meio da tecnologia aplicada a esses tipos de aparelhos.

A reprodução sonora total é constantemente adaptada às necessidades do usuário. Todo o processo pode ser feito diretamente pelo aparelho auditivo.

Como escolher o melhor modelo?

Não é possível escolher o melhor modelo, uma vez que a melhor alternativa deve ser designada por um profissional da área da saúde.

Entretanto, é preciso manter a atenção nos tipos de aparelhos indicados pelo doutor. Neste caso, basta pesquisar pelo modelo e comparar com os demais disponíveis no mercado.

O aparelho auditivo vai oferecer ao paciente a capacidade de escutar e, por isso, escolher o melhor modelo é garantir mais qualidade de vida, bem-estar e autonomia durante o dia a dia.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *