Descubra mais equipamentos para um laboratório

Seu portal de Saúde e Bem Estar

Descubra mais equipamentos para um laboratório

Um laboratório, normalmente, não tem somente uma aplicação fixa, mas trabalha com uma diversidade enorme de funções, desde procedimentos químicos até procedimentos físicos e mecânicos, e, por conta disso, utilizam também uma variedade de equipamentos para realizar essas funções adequadamente.

Pode ser um pouco complicado entender todos esses equipamentos, mas durante este artigo iremos abordar e entender um pouco sobre os mais comuns e mais aplicados nesse ramo.

Estufa de cura

O primeiro item que vamos abordar é a estufa de cura, esse equipamento serve para otimizar a pintura feita em certos equipamentos, essa estufa foi fabricada para funcionar corretamente com um tipo específico de tinta, conhecida como tinta de estufa.

Basicamente esse dispositivo realiza a transição de ar quente dentro do seu recipiente de forma sincronizada, realizando a secagem da tinta muito mais rápido que no modo normal, com isso é possível obter diversos benefícios, como exemplo: secagem sem bolhas, sem escorrimento de tinta e brilho elevado.

Prensa isostática

Os laboratórios não se restringem à fabricação somente de produtos químicos, trabalham também na produção de certos materiais para indústrias e, em alguns casos, para demais testes.

A prensa isostática é um dos equipamentos mais utilizados quando laboratórios querem realizar esse tipo de procedimento.

Esse tipo de prensa une a função dela com as demais funções para realizar a fundição do material a nível atômico, podendo trabalhar também com ar quente ou só com pressões controladas, realizando a uniformidade da peça e deixando-a muito mais resistente às ações do tempo.

Maçaricos de corte

Esse equipamento une diversas vantagens da soldagem por fundição de gás inflamável com a função de expelir oxigênio, realizando a combustão do ar sendo expelido a altas velocidades, podendo cortar diversos tipos de materiais de forma rápida e eficiente, deixando uma superfície completamente retilínea.

bico de corte para maçarico é o que vai ditar como o material será cortado, dependendo se o bico tiver um saída mais arredondada ou mais quadrática a forma do corte também se modificará, entregando para esse tipo de maçarico uma versatilidade gigantesca de funções, podendo aplicar em diversos tipos de equipamentos de forma dinâmica.

Trabalhando em locais confinados

Os laboratórios muitas vezes necessitam ter certas condições especiais para alguns testes, dessa forma, alguns laboratórios trabalham em locais confinados, com dificuldades de iluminação e respiratórias. Para suprir esses problemas existem 2 equipamentos centrais, que iremos entender um pouco melhor.

Iluminação

Para sanar o problema da iluminação, os laboratórios normalmente optam por utilizar uma torre de iluminação, este equipamento traz diversas vantagens, como:

  • Alcance de até 3 metros;

  • Alta carga de bateria;

  • Holofotes facilmente substituíveis;

  • Equipamento silencioso.

Esses benefícios fazem com que essa torre seja a opção ideal para trabalhar em espaços confinados, mas também é muito dissuadida em espaços que possuem pouca iluminação e necessitam direcionar a luz para certos focos, uma adaptação muito fácil de ser aplicada neste equipamento.

Equipamento de respiração

Os equipamentos que transmitem o ar mandado são conhecidos também como EPIs (Equipamentos de proteção individual) e tem a função de proteger as vias respiratórias dos colaboradores presentes em locais confinados através de máscaras e o acionamento de ar comprimido.

Normalmente em áreas confinadas existe uma dificuldade de entrada do oxigênio, deixando o ar contaminado de outras substâncias, como aerodispersadores e vapores tóxicos.

Essas substâncias são muito presentes em áreas que a construção civil, manutenções e inspeções necessitam ter conhecimento para prosseguir com os seus trabalhos.

Gases para solda

Os últimos itens que iremos abordar são os gases para solda, que ajudam esses equipamentos a produzir uma solda mais eficiente e mais segura, iremos abordar aqui 2 tipos de gás para solda puros.

Argônio

Esse tipo de material é indicado para a soldagem de produtos reativos ou refratários por não possuir nenhum tipo de agente químico que poderia ser liberado, e que poderiam afetar a composição do material.

Outro ponto que faz esse material se destacar é a sua condutividade térmica baixa, que permite o controle mais exato da temperatura emitida pela solda.

Hélio

Diferente do item abordado no tópico anterior, este material já possui uma elevada condutividade elétrica e térmica, sendo aplicado em soldagens que não necessitem de uma temperatura exata para atingir os seus objetivos, e por conta disso é indicado o uso de frequências elétricas mais altas para seu funcionamento adequado.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *