5 curiosidades que você não sabia sobre a parafina

Seu portal de Saúde e Bem Estar

5 curiosidades que você não sabia sobre a parafina

A parafina é oriunda do petróleo e é muito conhecida por causa da fabricação de velas. Elas são brancas e possuem excelente estabilidade química, uma vez que são submetidas a um alto grau de refino.  

Cabe destacar que a parafina está diretamente relacionada à produção de velas, mas é capaz de compor muitos cosméticos, adesivos, giz de cera, papel carbono, tintas, dentre outros produtos.

Se deseja saber para que serve a parafina, continue lendo este artigo e, a partir do próximo tópico, confira 5 curiosidades que você não sabia sobre o produto.

 

1. Tipos de parafina

Não existe apenas um tipo de parafina, assim como muitas pessoas pensam. Ou seja, para cada finalidade, existe uma parafina específica, que atende às necessidades do projeto.

Veja alguns dos principais tipos de parafinas:

  • Parafina líquida;

  • Parafina em barra;

  • Parafina em gel;

  • Dentre outras.

A única coisa que diferencia um tipo do outro é o ponto de fusão. Neste caso, a parafina líquida é um óleo parafínico, uma vez que não fica em estado sólido, assim, ela pode ser colocada em um aquecedor de parafina, muito usado no âmbito hospitalar para manter o material em temperatura padrão.

Por outro lado, a parafina em gel é um polímero termoplástico, muito usado em velas decorativas. Vale salientar que todas as parafinas podem ser usadas para fabricar velas.

 

2. Parafina é usada no chiclete

Isso mesmo. A goma de mascar possui a parafina entre seus ingredientes de fabricação. O desenvolvimento do chiclete começa com a produção de sua matéria-prima, denominada como goma base. Dentre os principais ingredientes dessa base, destacam-se: borracha sintética e a famosa parafina.

As duas são derivadas do petróleo. Além disso, o chiclete também conta com óleos vegetais para dar liga à mistura, bem como antioxidantes, que conservam e prolongam a duração do produto.

Por fim, a receita da goma de mascar recebe carbonato de cálcio e cal para dar volume ao produto misturado.

 

3. Parafina é altamente inflamável

Muitas pessoas têm dúvidas sobre a taxa de inflamação da parafina. No entanto, quando usada em velas, ela dá a entender que só o pavio pega fogo, a cera apenas derrete. Ademais, a cera aumenta a vida útil do pavio, fazendo com que a vela dure muito mais.

Quando o pavio está solto, ele seria consumido rapidamente pelo fogo se não houvesse a cera de parafina ali. Mas, o que muitos não sabem é que a parafina sustenta a chama, ou seja, ela é inflamável.

Isso porque a parafina é composta por pequenos elementos chamados de hidrocarbonetos. Com isso, quando o pavio é aceso, a cera da vela derrete e é absorvida por ele mesmo, garantindo a vida útil da chama.

A alta temperatura faz a parafina líquida virar vapor, uma vez que esse vapor sustenta a chama.

Por isso, é muito comum que o equipamento dispensador de parafina ajude a manter a temperatura do material, especialmente para a confecção de blocos de demais produtos feitos de parafina.

 

4. Parafina derretida

Para produzir uma vela artesanal, é necessário derreter a parafina com um equipamento especial para o procedimento. Além disso, a parafina derretida pode ser usada em procedimentos estéticos, como máscaras e cosméticos.

Neste caso, o derretedor de parafina deve ser completamente moderno e apto para abrigar diferentes temperaturas do material derretido. É muito importante que o profissional tome cuidado durante o manuseio da parafina, pois, assim como já foi mencionado, ela pode queimar.

Assim sendo, manter a atenção voltada às novidades tecnológicas do setor é algo imprescindível, pois também garante a proteção durante o manuseio em altas temperaturas.

Deste modo, a panela eletrica para derreter parafina é uma das mais recomendadas, justamente por conta da precisão no derretimento e, é claro, a segurança que esta proporciona ao usuário.

 

5. Parafina para procedimentos estéticos

A parafina, assim como já foi mencionado ao longo do artigo, também é usada em diferentes procedimentos estéticos. O bronzeamento artificial, por exemplo, faz uso do material para acelerar o processo bronzeador.

No entanto, o procedimento não é nada seguro, pois pode ocasionar irritações e problemas de pele.

Ainda assim, depois de passar por um aparelho para derreter parafina, o material também pode ser usado para regiões ressecadas, como a pele da mão, joelhos, cotovelos, etc.

Ainda assim, além de hidratar as regiões ressecadas, a parafina age como um ótimo agente de relaxamento dos músculos. Sendo assim, o uso é ideal para quem sofre com dores musculares.

Estas são as principais curiosidades sobre a parafina, usada para diferentes fins no âmbito industrial, caseiro e estético.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *