Atividades funcionais que você precisa conhecer

Seu portal de Saúde e Bem Estar

Atividades funcionais que você precisa conhecer

O treino funcional é um método de treinamento focado nos movimentos que fazemos no dia a dia, como é o exemplo da ginástica funcional. Apesar do termo ser, relativamente, novo, seu desenvolvedor, Paul Chek, baseou-se nos movimentos fundamentais do homem primitivo: agachar, avançar, abaixar, puxar, empurrar, levantar e girar.

Era o método utilizado por atletas na Grécia antiga e por gladiadores na Roma antiga, e já foi até questão de sobrevivência em determinadas épocas.

A principal vantagem desse tipo de treinamento é que ele é mais dinâmico do que os treinos convencionais. O treinamento funcional consegue atender, tanto aos indivíduos que já praticam algum exercício, quanto aos que ainda estão iniciando.

Além disso, ele também foge da monotonia, já que pode ser praticado em qualquer lugar e com diferentes objetos.

Quais os tipos de treino funcional?

Um dos tipos mais conhecidos de treinamento funcional é o pilates. Existem muitos grupos e academias que dão aulas de pilates na mooca.

Esse tipo de exercício foi criado para que se possa trazer equilíbrio entre o corpo e a mente. No pilates, o foco não é a quantidade, mas a qualidade de cada movimento.

Engana-se quem pensa que são necessários aparelhos para a prática do pilates: o pilates solo pode ser praticado apenas utilizando o próprio corpo, como fazia seu criador Joseph Pilates.

O pilates pode ser praticado por todos os tipos de pessoas, inclusive gestantes, idosos e crianças. Entre os benefícios do pilates, podemos citar:

  • Alonga o corpo;
  • Melhora a postura;
  • Deixa a coluna mais forte e flexível;
  • Aumenta a autoestima;
  • Ajuda no controle do peso;
  • Reduz o estresse e alivia as tensões.

A corrida também é um tipo de atividade funcional. Além dos benefícios a longo prazo, a corrida também oferece benefícios imediatos, até mesmo durante a prática.

O exercício fortalece o sistema imunológico e melhora o humor, sendo um grande aliado na luta contra doenças, incluindo a depressão.

Além disso, também melhora a resistência física, reduz o apetite, e melhora a qualidade do sono. A corrida com cones é um dos exercícios mais comuns em circuitos de funcional.

Outro tipo de ginástica funcional é pular corda. Além de remeter à infância e, com isso, ser mais atrativo para a maioria das pessoas, pular corda aumenta a coordenação das mãos, tonifica o corpo e queima cerca de dez calorias por minuto.

O ideal é trocar de pulo depois de dez pulos, para evitar que a fadiga faça com que você perca o pulo. Existem também as cordas com peso, para quem quer se desafiar mais nesse exercício.

Como os treinos funcionais são feitos?

O treinamento funcional, geralmente, é realizado em circuitos. Além de melhorarem o condicionamento físico, os circuitos funcionais melhoram a coordenação motora.

Cada atividade do circuito é feita em sequência e sem intervalos entre si. Por isso, é importante procurar um profissional antes de fazer esse tipo de treinamento, para diminuir o risco de lesões e problemas articulares.

O treino funcional para iniciantes, em geral, é feito sem o uso de aparelhos, apenas com o peso do próprio corpo. Estes são incluídos à medida que o aluno avança.

Alguns exemplos de exercícios simples, sem a necessidade de aparelhos, são flexões, abdominais e prancha. Os aparelhos podem ser comprados em lojas de artigos esportivos ou substituídos por itens que você tem em casa.

Por exemplo, pode-se fazer halteres caseiros utilizando garrafas pet com pedras ou areia. Os aparelhos mais utilizados são:

  • Bolas;
  • Halteres;
  • Corda;
  • Cones;
  • Elásticos;
  • Step;
  • Cama elástica.

Hoje em dia, academias proporcionam aulas de funcional para todas as faixas etárias, em turmas de cerca de 15 alunos, que são divididas de acordo com a compatibilidade física dos alunos.

Existem também personal trainers, especializados nesse tipo de treino, e professores que preferem ministrar a aula de funcional em parques ou praias, para quem prefere um ambiente mais aberto e conectado com a natureza.

É importante lembrar que, antes de qualquer coisa, é preciso consultar um médico para avaliar suas condições e traçar o seu perfil metabólico, identificando o tempo e a intensidade ideais para cada exercício.

A prática de exercícios físicos pode elevar complicações de doenças silenciosas ou em estágio inicial. O acompanhamento médico é especialmente recomendado para pessoas com histórico de doenças cardíacas, pulmonares, renais, artrite ou hérnia de disco.

Além disso, o alongamento é fundamental antes da prática de qualquer exercício físico, para evitar lesões, aumentar a amplitude dos movimentos, diminuir as dores e aumentar a disposição.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *